Por que música na Igreja?

Por que música na Igreja?
"Se a música carrega uma função tão importante que é solidificação da Palavra em nosso coração, nossas canções precisam ser carregadas da mensagem do Evangelho".

A música

De acordo com o dicionário, música é a arte de combinar os sons. O som é um fenômeno físico, portanto sujeito às leis da física e com propriedades físicas; isso explica em parte o fato de que a música exerce influência sobre o nosso corpo. A arte é um fenômeno humano e social, e portanto uma expressão dos sentimentos, ideologias e pensamentos. Com relação a esse fenômeno, Wisnik fala sobre a música nos seguintes termos:

A música não refere nem nomeia coisas visíveis, como a linguagem verbal faz, mas aponta com uma força toda sua para o não-verbalizável; atravessa certas redes defensivas que a consciência e a linguagem cristalizada opõem à sua ação e toca em pontos de ligação efetivos do mental e do corporal, do intelectual e do afetivo. Por isso mesmo é capaz de provocar as mais apaixonadas adesões e as mais violentas recusas.

A música esteve sempre presente na história. Na Bíblia encontramos a presença da música para várias ocasiões da vida das pessoas. Em Gn 31.27 podemos observar o uso da música em celebrações de despedida; em Lc 15.23-25 em celebrações de regresso; em 2 Cr 23 na proclamação de um novo rei; 1 Sm 18.6 na guerra; Ex 32.18 situações de vitória e alegria, como em momentos de derrota e tristeza.

A música na adoração

A Bíblia nos mostra que a música tem parte importante na vida religiosa e de adoração do povo de Deus.

Adoração é uma resposta do homem ao que Deus é e faz. As Escrituras ensinam claramente que o povo de Deus não deve apenas falar, mas também cantar suas verdades (1Cr 16.9; Sl 33.2,3; Cl 3.16).

Cantarei ao SENHOR, porque ele me tem feito muito bem.” (Salmo 13.6 – Almeida 21)

A música na adoração corporativa tem alguns objetivos e benefícios específicos. As canções não são para passar o tempo, esperar a chegada dos membros ou uma preparação para a momento da pregação, mas o tempo da adoração com música faz parte da essência do verdadeiro culto a Deus.

A música é uma linguagem, e o mundo é construído com a articulação da linguagem. E como qualquer linguagem ela comunica algo, ela expressa significados.

Grande parte da poesia bíblica, especialmente no livro dos Salmos, foi originalmente escrita para ser cantada. A palavra na forma poética e/ou musical realça e valoriza a Palavra de Deus, conferindo-lhe vivacidade e facilidade de memorização. A música e a poesia aparecem em toda a Bíblia, com uma longa história de cânticos de redenção que comunicam a revelação de Deus.

Nos tempos antigos, a maioria das pessoas era analfabeta ou não tinha acesso à escritos, documentos, etc. A linguagem poética/musical era usada de maneira eficaz para o ensino e transmissão de tradições devido ao fato da linguagem musical facilitar a memorização.

Disso podemos concluir que necessitamos da música nos nossos cultos para que a Palavra penetre o nosso coração.

Agora, então, escrevei este cântico para vós e ensinai-o aos israelitas. Fazei-os conservá-lo na boca, para que ele seja minha testemunha contra o povo de Israel.  (Dt 31.19  – Almeida 21).

Se a música carrega uma função tão importante que é solidificação da Palavra em nosso coração, nossas canções precisam ser carregadas da mensagem do Evangelho. As letras devem ser repletas de conteúdo das Escrituras. Jonathan Leeman afirma que “se existe qualquer lugar onde a Palavra de Deus deva literalmente reverberar, deve ser nas canções da igreja”3.

Deus criou a música e se alegra com nossos louvores e com nossos cânticos que mostram o conhecimento que temos de sua pessoa. O Senhor habita no meio dos louvores do seu povo e canta juntamente com ele (Sf 3.17).

Cantar também é uma maneira de como a congregação particularmente une as suas emoções e afetos com a Palavra de Deus. Jonathan Edwards propôs que Deus nos deu a música “somente para incitar e expressar afeições religiosas”4. Cantar a Palavra de Deus é como uma congregação sintoniza seu coração ao longo de toda uma gama de afeições conduzidas biblicamente.

Salvação e Louvor

Salvação e louvor caminham juntos. Os que crêem e são salvos pelo sangue de Cristo devem responder ao Salvador rendendo-lhe louvores. A salvação de Deus purifica nossos lábios e abre nossas bocas para cantarmos o seu louvor (Sl 51.14,15; Is 6; Sf 3.9-13).

Livra- me da culpa dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação! E a minha língua aclamará a tua justiça. Ó Senhor, dá palavras aos meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor. (Sl 51.14,15 – NVI)

Então purificarei os lábios dos povos, para que todos eles invoquem o nome do Senhor e o sirvam de comum acordo.” (Sf 3.9 – NVI)

NOTAS

1 Wisnik, José Miguel, O Som e o Sentido, São Paulo: Companhia das Letras, 1989, p.25.

2 Schumacher, Cristina, Uma Gramática Intuitiva, Rio de Janeiro: LTC, 2013, p.17.

3 Jonathan Leeman, “Reverberation”.

4 Citado por Jonathan Leeman em “Reverberation”.

5 Jonathan Leeman, “Reverberation”.

Por: Samuel Fratelli. © 2016

Comentários

comentários