Compondo para a igreja local

Nem sempre, mas às vezes o fazemos. Na maioria das vezes é incrível, mas outras vezes, é um exercício de paciência para a nossa congregação.
Nem sempre, mas às vezes o fazemos. Na maioria das vezes é incrível, mas outras vezes, é um exercício de paciência para a nossa congregação.

Neste texto vamos abordar o assunto Compondo para a igreja local, com o objetivo de despertar os músicos cristãos no exercício de sua missão na igreja.

Nossa igreja canta música original.

Nem sempre, mas às vezes o fazemos. Na maioria das vezes é incrível, mas outras vezes, é um exercício de paciência para a nossa congregação. Recentemente, alguém me pediu para explicar por que nossa igreja escreve música original, então eu estive pensando sobre todas as maneiras em que a  composição serve nossa igreja local. Eu poderia dar razões ideológicas para a expressão da nossa criatividade como portadores da imagem do maior Criador, mas acho que compartilhar algumas maneiras que o trabalho de compor nos beneficia como uma congregação explica o valor de escrever música para nossa própria igreja local.

Compor nos move do geral para o específico

As canções que escrevemos esperam expressar uma teologia que é verdade em todos os lugares e em todos os tempos. No entanto, as nossas canções são expressões e respostas específicas para a igreja em nosso tempo e espaço. Isto permite que o que nós cantamos esteja conectado com o que estamos aprendendo como uma congregação e como precisamos crescer, com a nossa série de sermões, e com as dores e celebrações que temos compartilhado como uma comunidade. Estas canções originais são como uma coletânea favorita da nossa família da igreja, ao contrário de uma variedade aleatória como numa rádio pop. Outras famílias da igreja podem gostar e usar as músicas que escrevemos, mas estas frases, expressões e melodias nasceram de nossas necessidades específicas e trabalho específico de Deus nas pessoas aqui.

Compor nos move de consumidores a contribuintes

Nós, líderes de adoração, fazemos escolhas a cada semana sobre como e o que o nosso povo irá declarar, orar e celebrar juntos através de canções. Há tanta coisa sendo produzida nestes dias que tem de haver um filtro saudável para o que é permitido no nosso canto, mas filtrar esse fluxo constante de novas músicas podem desenvolver uma cultura de farisaísmo musical. Eu já vi isso em meu próprio coração. Quando é mais fácil excluir ou desaprovar a música que eu ouvi, em vez de considerar o nosso Deus e a resposta que incentiva, eu sei que tenho um problema de pecado.

Quando eu não estou escrevendo, estou fora do eixo do que está sendo criado, avaliando cada palavra, gancho, e escolha dos acordes. Quando começamos a escrever canções para nossa congregação, no entanto, eu testemunhei uma mudança na nossa perspectiva. Nós passamos de críticos para criativos. Ao invés de reclamar sobre como as músicas não estão à altura, decidimos começar a escrever, ou tentar escrever, o que esperávamos declarar e celebrar com nossa congregação. Isso não significa que nós não temos que combater o orgulho de forma consistente, mas somos capazes de nomeá-lo e se arrepender disso. Nós descemos de nossos altos pedestais musicais e teológicos e começamos a trabalhar para servir a igreja.

Compor nos move rumo ao desenvolvimento

Temos também um forte desejo de crescer como líderes de louvor e treinar outros líderes. O processo de composição tem alargado a visão coletiva dos nossos valores e desenvolvemos a nossa cultura de planejamento de culto entre músicos e líderes de louvor em nossa congregação.

Como escrever uma canção baseada nas escrituras.

À medida que escrevemos e compartilhamos músicas, fazemos perguntas: Será que isso ensina o que é verdade? Isso é cantável? O que é uma resposta adequada a esta verdade? Isto está claro e compreensível? Poderiam estas letras ser mal interpretadas? Será que isto vai servir a nossa comunidade bem agora? Isto é poético? Nós corajosamente compartilhamos músicas uns com os outros e oferecemos um feedback com amor e honestidade, o que leva várias vezes a mudanças em uma letra que está um pouco “frouxa” ou numa melodia que está “difícil de cantar”. Nós estimulamos um ao outro regularmente para pensar com mais clareza ou ampliar nossa criatividade. Ao cultivarmos canções individuais, nós mesmos estamos sendo cultivados, crescendo individualmente como compositores e líderes de louvor.

Compor é um trabalho árduo

Criação de músicas que são cantáveis, que proclamam a verdade, e fornecem uma resposta apropriada é um trabalho árduo. As chances de se escrever a próxima “In Christ Alone (Só em Cristo)“ são quase nulas. Até agora, nenhuma canção que escrevemos juntos passou em todos os requisitos de “cantabilidade” ou clareza perfeita. Mas ninguém mais pode oferecer à nossa congregação tais respostas específicas, pontuais e originais de Deus cujo caráter e a mensagem nunca muda. Da próxima vez que você estiver preparando uma lista de canções, considere a criação de uma música que complementa o ensino, a cultura atual, e as pessoas no seu contexto. Inclua sua equipe e obtenha um feedback. É provável que você cresça e veja os seus líderes de louvor crescerem no processo.

 

Por: Nathan Chapman. Copyright © 2016 Doxology & Theology. Original: Songwriting for the local church.

 

Comentários

comentários