A fé que desperta heróis: na família, ministério e sociedade.

A fé que desperta heróis
"Posso ser um verdadeiro herói da fé por ter exteriormente uma capa de herói, um anel de herói, uma logo marca de herói e até um nome de herói, mas por dentro não sou nada disso? Jesus sabe exatamente quem sou."

Quantas coisas boas Deus depositou dentro de cada indivíduo no instante em que este se tornou filho de Deus. Não descobrimos ainda muito do que há Dele em nós, nem tampouco experimentamos o seu poder que pode se manifestar através do ato específico da nossa vontade.

As histórias que lemos na Bíblia apresentam pessoas usando ferramentas que hora são simbólicas e em outros momentos apenas trabalho prático. Jacó usou o símbolo das varas listradas para interferir geneticamente no rebanho (Gn 30.35-41). Neemias reconstruiu os muros  com o trabalho prático, pois colocou os edificadores atentos, numa das mãos a arma de guerra, e na outra uma colher de pedreiro (Ne 4.17). Ambos os casos acreditaram que Deus os fariam obter êxito no que se propuseram realizar. Jacó está  na lista de heróis da fé, Neemias não (Hb11). Porém  herói inclui todos os profetas e personagens que não são mencionados pelo nome (Hb 11.32-40), entretanto presenciaram milagres em suas dificuldades e desafios.

Todos eles eram pessoas simples, não frequentaram nenhuma escola de herói para ser considerados heróis da fé. Entretanto se tornaram influência e referência para que possamos testemunhar que não importa o que venhamos enfrentar, se com atos simbólicos ou práticos, teremos uma resposta se tivermos o mesmo comportamento dos exemplos bíblicos.

Como despertar o herói da fé?

Quando o Novo Testamento foi inaugurado, Cristo modificou o cerne do relacionamento com (Ele mesmo) Deus, a adoração. A apoteose deste contato não será mais num lugar geográfico, e sim dentro de cada indivíduo que se torna templo do (Dele mesmo) Espírito Santo. A Igreja, que é cada crente, substituiu todo o conceito que havia no AT. Lá, no AT, lemos sobre uma nação, os Judeus suspiravam por um reino visível e triunfalista.

Agora, tudo foi alterado, uma reengenharia, Cristo colocou seu Reino “dentro” ( Lc 17.21 ARA) de cada cristão (“entre” NVI). Para este conceito diferente, Jesus descortinou que haveria invisibilidade e imaterialidade no que antes era visível. Deus quer amadurecer nossos sentidos, e nos fazer crescer e avançar, mas antes quer aguçar a nossa confiança e dependência Dele. Pois milagres maiores somente podem vir com uma fé maior. Herói da fé é aquele que acredita neste Reino, na sua força, propósito e missão. Se acredita então deve se mover com ele. Para nascer ou despertar o herói que há dentro de cada um, é necessário acreditar integralmente e entrar nesta dimensão conceitual da humildade e da imaterialidade deste Reino.

É humilde, mas não é por ser menor, frouxo, tolerante e fraco. É humilde em nossa perspectiva ainda não totalmente alinhada com a Dele. É humilde porque se tornou diferente das expectativas que o homem “queria”, ou “queremos”, esse “querer” é tão somente o homem desejando fazer as coisas por força e violência, é dizer a Deus como o seu Reino deve ser.

Atos heroicos que Deus espera de nós

Os atos heroicos do AT e do NT são um pouco diferentes se olharmos apenas para a superficialidade do que está escrito. Geralmente é, aceitar aquela insipida leitura sem a paixão que houve nos singulares episódios de cada personagens. A galeria dos heróis da fé torna-se como em contos fantásticos, sem no entanto nos fazer internalizar o que o Espírito Santo anseia produzir em nós.

No AT lemos eventos maravilhosos, mas que ainda assim estão distantes de nós, separados pela nacionalização e pela história de um povo específico. No NT vemos que Cristo nos elegeu povo Dele, com o mesmo status de “povo de Deus” como nominalmente era ou ainda é atribuído aos israelitas de qualquer época. Mas Romanos 9 explica melhor essa dualidade de entendimento.

“Noutras palavras, não são os filhos naturais que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa é que são considerados descendência de Abraão.” V.8. Será que entendemos o que nos aconteceu?  Creio que ainda não!

Mas enquanto não chegamos ao pleno conhecimento de Cristo, à perfeita varonilidade (Ef 4.13 ECA), pois isto ainda está sendo formado em nós, temos que entender que: Heróis da fé são forjados em pequenos eventos, porém de colossal efeito. A repercussão dos atos destes atos heroicos causam eternas consequências nas pessoas ligadas à nós. E é o que Cristo está interessado neste instante, isto é, tanto para os ministros que oficiam na igreja como também para os cristãos de uma forma geral.

Ele não espera, e não quer, que você tente salvar seu bairro, cidade ou nação e negligencie ou abandone a sua casa, seu casamento, sua aliança com a igreja local. Desde as primeiras décadas do NT até hoje, e se estenderá até a volta de Cristo, o Reino de Deus não é visível, ou material. É imaterial, a Igreja verdadeira (1 Pe 2.5)!

Infelizmente, antigamente quando um missionário dizia ter deixado a família, esposa e filhos para pregar o evangelho em outras fronteiras todos (ou quase todos) o aplaudiam: – Uau, que herói da fé!

Graças a crescente maturidade isso não mais acontece. Se um obreiro disser que deixou sua esposa e filhos e igreja local, nestes termos, é imediatamente censurado. O querer de Deus é o mais alto ato heroico de fé que um cristão pode realizar. Além de que, ele é sempre o melhor.

Você pode ser um  herói da fé

Se eu dissertasse o texto de Hebreus 11, evidenciando a galeria dos heróis da fé, é  possível não causar um satisfatório efeito prático nos leitores. Mas o objetivo aqui é proporcionar uma leitura inspiradora que o leitor possa fazer a aplicação pessoal. Então, pela fé, eu acredito que este seja um herói da fé, e dos grandes! Veja: “E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade.” Marcos 9:24. Que herói! Você sabe o desfecho deste texto? Então… No final o diabo perde, a enfermidade perde, a morte perde e dá lugar a vida proporcionada pela fé de alguém que escolheu se humilhar, ao invés de exigir, de esbravejar, ou estufar o peito altivamente dizendo ser ‘super alguma coisa’ que não é ou ter algo que não possui . O pai citado no texto foi um herói da fé para a sua casa, filhos, esposa e outros ligados a ele.

Como alguém que admite publicamente, e na presença de Jesus, a falta do que é  essencial para alcançar um milagre, ser considerado um herói  da fé por mim? Porque, eu, pela fé, acredito que o mesmo se faz na minha vida e ministério pessoal. Posso ser um verdadeiro herói da fé por ter exteriormente uma capa de herói, um anel de herói, uma logo marca de herói e até um nome de herói, mas por dentro não sou nada disso? Jesus sabe exatamente quem sou. É melhor clamar, confessar a minha condição, Ele pode me ajudar em tudo que eu precisar para ser a resposta de oração – herói – para quem precisa segundo a Sua vontade. Você pode e deve também escolher ser um herói da fé na sua geração, no seu tempo e para seus contatos relacionais.

Desperta a tua fé, herói!

Por: Ricardo Corrêa

 

Comentários

comentários