Dicas para os bateristas

Dicas para os bateristas

A bateria é um instrumento rítmico e sua função é auxiliar esta importante área na execução de uma música. Entretanto a bateria não é imprescindível, como imaginam alguns, pois sua função rítmica pode ser executada por outros instrumentos.

Precisamos ter isto em mente para não cometermos erros que prejudiquem o serviço à igreja local e a impeça de ser abençoada.

Visto que os bateristas enfrentam muitas exigências, principalmente a respeito de volume e andamento na execução das músicas, quero deixar aqui algumas dicas que tenho aprendido ao longo dos anos com bateristas mais eficientes e experientes que eu.

Espero que possa ajudar.

Serviço

Antes de mais nada, precisamos entender que nossa principal função é servir a igreja local e aos irmãos. Não é sermos reconhecidos no ministério.

Seu coração precisa estar cheio com a Palavra e com a disposição de servir e abençoar a igreja.

Colocar os dons e talentos que você recebeu a disposição é uma das maneiras de fazer isto.

Não crie expectativas falsas. As pessoas vem a igreja para ver Jesus, ouvir a Sua voz e serem abençoadas por Ele. Nosso único propósito deve ser que todos O exaltem e O glorifiquem.

Andamento

É comum ocorrerem pequenas variações no andamento das músicas durante a execução mas esta variações não podem ultrapassar o limite do aceitável.

Para ajudar na percepção do andamento utilize o metrônomo durante seus estudos, durante os ensaios e também durante os cultos se isto for possível. O ponto crítico na perda do andamento normalmente são as viradas. Quando executá-las concentre-se no click do metrônomo. Assim quando houver as inevitáveis variações, você conseguirá ajustar o andamento sem que um impacto muito grande seja gerado.

Volume

A maioria das igrejas utiliza baterias acústicas e diversas soluções tem sido buscadas e aplicadas para resolver a questão do volume.

Independente da solução encontrada, você é a melhor solução.

Baquetas

Por mais surpreendente que possa parecer, o tipo de baquetas utilizadas tem uma grande influência no volume resultante durante a execução.

Cada baterista tem seu estilo, mas o que deve ser priorizado é o estilo da igreja e não o estilo individual.

As baquetas são classificadas por números e letras onde a letra “A” representa as baquetas de uso geral e a letra “B” representam, ou eram utilizadas, normalmente nas orquestras e Big Bands. As de letra “A” são mais finas e consequentemente mais leves que as de letra “B”.

Os números se referem diretamente ao peso e grossura da baqueta. Quanto menor o número, maior o peso e grossura. Sendo assim a 2A será mais pesada e grossa que a 7A.

Não vou explorar aqui sobre os vários tipos de pontas mas veja a ilustração abaixo com a relação entre o número, a letra e a espessura das baquetas:

baquetas

Portanto:

  • Para servir a igreja e abençoar os irmãos procure utilizar baquetas mais leves.

Vejo em muitas igrejas onde vou que os bateristas, em nome da pegada, utilizam baquetas inadequadas para execução na igreja. Normalmente a 5B. Ela é mais pesada e consequentemente produzirá maior volume sonoro.

Migre para 7A que é mais leve. Isto também exigirá um desenvolvimento em sua técnica pois esta baqueta também é um pouco mais frágil.

Mas lembre-se que a baqueta mais adequada é aquela que é adequada para a igreja.

  • Ajuste a altura de cada peça da bateria de forma que fique mais próxima do seu alcance.

Por exemplo: Não deixe a caixa em uma altura muito baixa por uma simples questão física e mecânica.

Quando a caixa está em uma distância maior o movimento (mecânica) que deve ser executado resultará em um aumento de velocidade e por fim o toque será mais forte/alto. O simples ajuste da altura da caixa e pratos melhora muito o controle do volume.

  • Procure tocar no centro das peles ao invés de usar constantemente o Rim Shot.
  • Ajuste também a altura do banco de assento de forma que suas pernas permaneçam no ângulo de 90 graus. Isto te deixará mais confortável e você poderá tocar com mais leveza.
  • Ao utilizar os pratos procure tocar com a ponta da baqueta e no meio do prato (entre a cúpula e a borda) principalmente no prato de condução. Use o corpo da baqueta somente para produzir um efeito ou ênfase específico.

Estudo e ensaios

  • Durante seus estudos com música, se discipline a colocar a altura do play back em um volume razoável pendendo para o volume baixo e toque de forma que consiga ouvir a música e ao mesmo tempo executar com excelência o arranjo proposto.
  • Durante os ensaios também busque ouvir os outros instrumento e as vozes com clareza sem a necessidade de solicitar ao técnico de som que aumente o volume dos outros em seu retorno (Isto é recomendável a todos os instrumentistas). Diminua você a intensidade com que está executando. Toque mais baixo mesmo.
  • Quando ajustar seu retorno, solicite ao técnico de som que coloque um pouco do som ambiente para que você possa ouvir a igreja cantando e tenha uma noção mais ampla de como está a sua execução. Se esforce para ouvir a igreja cantando.

Estas são apenas algumas poucas dicas que podem ser aplicadas imediatamente com resultados muito satisfatórios.

Desejo que você seja uma bênção em sua igreja e na vida dos irmãos. O Seu chamado é para servi-los.

Deus te abençoe!

Por: Jefferson Ilário. © 2016 Portal Adorando.

Comentários

comentários