É Necessário Esforço para se Manter Aquecido

É Necessário Esforço para se Manter Aquecido

Moro na latitude 44,9778 ° norte, longitude 93,2650 ° oeste. Para os que não sāo geógrafos ou aficionados de cartografia (eu também não o sou), estas são as coordenadas para Minneapolis, Minnesota, EUA. Talvez a única coisa que “Minneapolis” signifique para você seja o frio. Há quem pense que Minneapolis é um subúrbio do Pólo Norte. Não é bem verdade, mas às vezes, bem que parece.

Com o retorno de Dezembro, o inverno veio com tudo. Nós de Minnesota vamos investir uma parte considerável dos próximos quatro meses lidando com neve, gelo e temperaturas gélidas. A calefaçāo está ligada e preparamos nossas blusas, casacos, chapéus, luvas, cachecóis, botas, pás, e (para os afortunados) máquinas de remover neve. Mais uma vez alocamos um tempo extra para remover a neve e raspar o gelo de nossos carros antes de sair pra qualquer lugar. Nós, veteranos da tundra, sabemos isto muito bem: É necessário muito esforço para se manter aquecido.

Fogo: A Chave para Sobreviver ao Frio

Mas há 150 anos, era necessário muito mais esforço para se manter aquecido durante um inverno em Minnesota. Tenho um grande respeito pelos povos nativos e colonos que enfrentaram o frio do Senhor (Salmo 147:17) antes dos dias do gás natural ser canalizado diretamente para casas equipadas com sistemas de aquecimento automático, reguladas por termostato. A um sesquicentenário atrás, a maioria das pessoas tinha apenas uma maneira de manter uma casa ou tenda aquecida: Manter o fogo aceso.

A vida durante o inverno girava em torno de se manter o fogo aceso, porque o fogo era a chave para se sobreviver ao frio.

E manter uma fogueira acesa durante o inverno dava muito trabalho. Tudo começava durante as estações quentes, porque havia que se pensar e planejar com antecedência para o fogo no inverno. Sabia-se que tempestades de neve imprevisíveis e frio severo estavam chegando. Havia ainda que fazer quase tudo o que se tinha pra fazer no verão, mas tudo levaria mais tempo no inverno, e haveria menos horas de luz no dia para se fazer as coisas. Quem ficasse sem combustível para o fogo no frio severo, estaria em apuros. Então cortavam-se as árvores muito antes das primeiras nevascas, transformando-as em lenha, e buscando maneiras de mantê-la segura e seca.

Quando chegava o inverno, o fogo estava sempre em sua mente, não importando o que se estivesse fazendo. Se não se alimentasse o fogo, ele se apagaria. Se o fogo se apagasse, a temperatura cairia rapidamente e levaria muito mais — mais lenha, mais trabalho e mais tempo — para reaquecer uma sala fria e móveis frios, do que para mantê-los aquecidos desde o começo. Portanto, a cada dia, além do resto das obrigações, cortava-se a lenha, reabastecia-se a lareira, mantinha-se o fogo alimentado e retiravam-se as cinzas. O fogo era a primeira coisa da qual se cuidava na parte da manhã e a última coisa da qual se cuidava à noite.

Manter o fogo aceso dava muito trabalho, mas era um trabalho necessário, pois o fogo era a chave para a sobrevivência.

O Frio é um Assassino Sorrateiro

Se você se pergunta por que alguns de nós vivem aqui onde faz tanto frio (às vezes nós nos perguntamos também), uma resposta é que nos é dado o privilégio de viver uma parábola de uma realidade espiritual.

O constante clima espiritual deste mundo, no qual nossas almas habitam, é muito mais parecido com Minneapolis em Dezembro de 1865 do que com San Diego — em qualquer era. A temperatura espiritual é perigosamente baixa e se não tivermos cuidado, nosso amor, como o de muitos, esfriará (Mateus 24:12).

E o problema do frio intenso, que nós de Minnesota conhecemos bem, é que ele nos danifica antes de o percebermos. Os efeitos de queimadura de frio normalmente não são sentidos quando isto está acontecendo. Só mais tarde se percebe a seriedade de nossa lesāo. Todo ano, há pessoas que perdem dedos e braços e pernas por causa do frio. E alguns morrem congelados. O frio é um assassino sorrateiro, porque uma sonolência pesada vem sobre suas vítimas e elas perdem a consciência, adormecendo para a morte.

Você Deve Manter o Seu Fogo Aceso

A chave para sobreviver ao clima polar espiritual em que vivemos é o fogo. Temos que permanecer aquecidos. Se não, pode resultar em ferimentos ou até mesmo em morte. E é preciso muito esforço para ficar aquecido. Nāo se pode improvisar no inverno. Há que se vestir de forma apropriada para o clima e manter o fogo aceso, o que requer preparação e manutenção.

O fogo é o seu amor cheio de fé, o seu desejo, seu prazer hedonista no Deus Triuno. E este fogo é alimentado pelo Espírito Santo com o combustível da palavra e da oração fervorosa.

Não estou falando sobre uma leitura passiva da Bíblia e uma oração fria. Simplesmente passar os olhos sobre as palavras da Escritura não irá manter o seu fogo aceso, e nem uma oração mínima, distraída, desinteressada o fará. É como ir à floresta de Minnesota e pensar que olhando para as árvores e dizendo: “Deus, preciso de algumas toras para queimar”, teríamos magicamente toras para o fogo.

Não. É necessário cortar as árvores, partir a lenha, protegê-la dos elementos, orando fervorosamente o tempo todo pela graça de manter a chama acesa. Sim, o fogo é graça de Deus, e o trabalho que ele exige, são os meios de Deus para se obter a graça. Cortar lenha é um trabalho árduo, mas sua recompensa é uma vida acalentada e abundante. A alternativa é a dormência prejudicial do frio.

O fogo tem de estar sempre em nossas mentes, não importa o que estejamos fazendo. Se não alimentarmos o fogo, ele se apagará. Se o fogo se apagar, a temperatura em nossas almas cairá rapidamente e será preciso muito mais trabalho para reaquece-las do que para mantê-las aquecidas desde o começo. Se você precisa de alguma ajuda nova para a leitura da Bíblia e oração, tire proveito do que está disponível.

O frio espiritual é um assassino sorrateiro. Faz as pessoas dormirem e perderem a consciência, não percebendo o risco. É por isso que a nossa vida deve girar em torno de manter o fogo aceso, porque o fogo é a chave para sobreviver ao frio. E o fogo deve ser a primeira coisa da qual cuidamos de manhã e a última da qual cuidamos à noite.

Por: Jon Bloom. © 2015 Desiring God Foundation. Original: It Takes Work to Stay Warm.
Tradução: 
Kellvyn Mendes

Jon Bloom serve como autor, presidente do conselho e co-fundador do Desiring God e já escreveu dois livros, Not By Sight (2013) e Things Not Seen (2015). Ele vive em Twin Cities com sua esposa, Pam, seus cinco filhos e um cachorro desobediente.

Comentários

comentários