Internet x Adoração

Internet x Adoração

Nós somos normalmente muito rápidos a notar quando alguém não está mostrando amor para com o próximo. Mas e quando se trata do amor de Jesus? Deve ser estabelecido implicitamente? É o amor de Cristo suficiente quando latente?

O que eu noto diariamente nas esferas cristãs da mídia social é o quão incrivelmente hábeis os evangélicos estão em relação à crítica doutrinária, repreensão cultural, análise teológica, exegese bíblica, defesa da fé em debates apologéticos e éticos, expressões espirituais, aconselhamento religioso, e, claro, a citação de líderes cristãos do presente e do passado, mas o que parece ser menos prevalente é a adoração de Jesus.

Quando vemos um versículo da Bíblia, corremos para o seu significado através de nossa mente e podemos expô-lo com inteligência, mas quando vemos Cristo diante de nós, ficamos estupefatos com sua beleza e exultamos nele com admiração? Adoramos Jesus?

Quando vemos uma pessoa perdida agindo como um tolo nos noticiários, a nossa justa indignação corre pelos nossos dedos em nossos teclados, mas quando vemos Cristo diante de nós, fazemos nossa justiça desintegrar-se e corremos diretamente a seus pés em uma postura de súplica? Adoramos Jesus?

Quando vemos um de nossos heróis cristãos dizendo algo inteligente, engraçado ou desafiador, nós lhe enviamos um cumprimento virtual e ecoamos a proclamação em gritos de apreciação; mas quando vemos a Cristo diante de nós, nós o exaltamos em nossos corações e anunciamos a sua glória com gritos de aclamação? Adoramos Jesus?

Quando vemos que alguém está errado na Internet, sentimos a responsabilidade de falar, para sermos os único a ficar na brecha entre sua ignorância e nossa certeza, mas quando vemos Cristo diante de nós – supremo, soberano e salvador – nós sentimos as maravilhas de seu esplendor?

Quando olhamos para Jesus, somos aquecidos? Ou será que damos de ombros?

Alguns cristãos professos não parecem falar de Cristo a todos. Deixemos que eles se perguntem: “Será que eu adoro a Jesus?”

Terá Jesus tornado-se o nosso mascote, ou nossa projeção? Quando você olha para ele, o que você vê?

Não há nada de errado em usar as praças públicas da Internet para todos os tipos de mensagens, das sérias até as bobas, e eu não quero sugerir isso. Quero simplesmente questionar: “você adora Jesus? Parece que você está animado sobre todos os tipos de assuntos, mas não está claro se você ama Jesus.”

Em meio à combustão periférica que os assuntos cristãos assumem, penso que deveríamos focar em seu ponto de ignição, ou seja, no amor de Cristo.

Cristo é o ápice de tudo o que é precioso, o centro de tudo o que é glorioso e prazeroso. Ele é o ponto de existência. Ele é o Filho do Deus vivo, o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, que foi, é e está por vir. “Vinde e o adoremos!”, Não façamos dele objeto de exame, análise ou utilidade.

Digam-no os remidos do SENHOR…

Salmo 107: 2

Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!

Isaías 52:7

Por: Jared C. Wilson. Copyright © 2016 The Gospel Coalition. Original: But do we adore Jesus?

Comentários

comentários