O Que Estamos Reproduzindo?

O Que Estamos Reproduzindo

Como cristãos, discípulos de Jesus e ministros do Evangelho do Reino o que de fato estamos reproduzindo ao longo da nossa história?

Jesus Cristo,  nosso mestre, exemplo de vida, nos deixou ensinamentos fundamentais a respeito do propósito da nossa existência. Cristo, “o verbo que se fez carne e habitou entre nós”, veio cumprir uma missão eterna de amor. Ele se deu, nos salvou, nos libertou do pecado e deixou um legado eterno para que fosse cumprido através de seus discípulos e seguidores, de fato, da igreja que Ele mesmo estabeleceu na terra.

Nossa missão aqui na terra é levar a todos povos, línguas e tribos da terra a mensagem do Evangelho de Cristo e não somente levar esta mensagem, mas também  gerar discípulos de Jesus, filhos na fé, deixando para a próxima geração o mesmo legado que nos foi confiado por Jesus.

Penso que vida cristã e ministério não faz sentido se não houver a  reprodução do que de Cristo fez em nós. Vejo muitos ministros percorrendo um longo caminho em busca de sucesso, visibilidade, multidões de seguidores e blá, blá, blá… Almejam uma perfeição praticamente inalcansável relacionada às ferramentas que usam no ministério e com isso perdem o verdadeiro sentido do que é ser aperfeiçoado pela obra do Espírito Santo, capacitado e ungido pelo próprio Deus. Me entristeço ao ver tanta falta de amor, competição, comparação entre pessoas que um dia foram alcançadas pelo amor e destinadas a serem a expressão deste amor na terra.  A palavra de Deus nos diz em : 1 João 4:7-10

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.”

Este é o verdadeiro amor pelo qual fomos alcançados um dia, um amor que doa, se importa com o outro. ” Amor que produz amor”.

Enquanto nos debatemos uns com os outros em busca de grandeza, fama e sucesso, uma lacuna fica nesta geração que de certa forma perdeu o  referencial do que é puro, santo, bom e aprovado por Deus. Onde estão os pais para esta geração? Homens e mulheres de Deus que correspondem ao chamado de Jesus para gerar, ensinar, cuidar desta geração? Onde estão aqueles que clamam e pagam um preço pelos seus filhos, aqueles que renunciam o seu “eu” e se tornam referenciais alinhados com Deus para a próxima geração? O que estamos vivendo dentro da igreja, é o reflexo do que vemos no mundo de hoje, uma geração de pais que se ocupam tanto em construir um império pessoal e no meio do caminho perdem o que é mais precioso: a oportunidade de deixar uma herança moral  e um nome de honra para seus filhos. Muito dinheiro, grandes impérios e uma geração de órfãos sem referenciais de integridade, amor e honra.

Creio que seremos de fato bem sucedidos na vida cristã e ministério à medida que nos ocuparmos com o que é realmente  importante e com o que produz frutos eternos. Nosso tempo aqui nesta terra é muito curto, precisamos deixar um legado fundamentado em Cristo para a próxima geração  , reproduzir o que é puro, saudável e conformado com a forma de Cristo. Somos parte do ministério de Jesus neste mundo, e temos como missão dar continuidade à obra maravilhosa que Ele mesmo começou.

Que o Senhor nos dê graça para chegarmos ao final e termos de fato algo verdadeiro para oferecer à Ele.

Comentários

comentários