Lições de Uma Estátua de Sal

Lições de Uma Estátua de Sal

Então o Senhor, da sua parte, fez chover do céu enxofre e fogo sobre Sodoma e Gomorra.. E subverteu aquelas cidades e toda a planície, e todos os moradores das cidades, e o que nascia da terra. Mas a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida em uma estátua de sal (Gn 19.24-26)

Todos nós temos um passado. Alguns de nós temos registrado incríveis falhas morais, enquanto outros de nós temos conseguido confinar nossos pecados a categorias menos horripilantes. Quanto mais conhecemos a Cristo, mais chegamos a perceber que todo pecado é assombroso quando comparado ao prumo da santidade de Deus. Todo pecado é um assombroso exercício no auto-foco e auto-adoração.

A fé salvadora nos liberta do poder do pecado, nos permite escolher o que Deus quer ao invés daquilo que nós queremos, e com o tempo, alinha nossos desejos com os desejos de Deus. Ao invés de querermos nos considerar como muita coisa, aprendemos a glorificar a nosso Criador. Mas se formos honestos, reconheceremos que ainda abrigamos locais de auto-adoração no fundo de nossos corações. À medida que melhoramos em pôr de lado uma área de pecado, muitas vezes, nos tornamos melhores em esconder outras áreas. Por mais que queiramos crescer na graça, descobrimos que o nosso passado ainda nos atrai.

Mas não é suficiente somente reconhecermos e nos arrependermos de nossos pecados. Para deixá-los para trás, temos de aprender a odiá-los.

E isto me leva a pensar sobre a mulher de Ló. Você se recorda dela; ela criou sua família numa cidade conhecida por sua depravação sexual, teve que ser fisicamente arrastada para fora de sua cidade natal para evitar a sua destruição iminente, olhou pelo espelho retrovisor, e, rapidamente, se transformou num tempero que dá sabor especial à pipoca . Bem no topo da lista das “Histórias Estranhas da Bíblia”.

Mas quando olhamos com mais atenção, sua breve história tem muito a nos ensinar. O sentido da frase “olhou para trás” é de que ela “estimou, considerou, prestou atenção.” Em outras palavras, após ser arrastada de sua vida de auto-foco e ser colocada num novo caminho de liberdade, a mulher de Ló olhou para trás com desejo e saudades de seu passado. Ela o fez exatamente quando este passado estava sendo consumido pela ira ardente de Deus.

Creio que uma pista para compreendermos sua morte está no que ela se transformou. Deus poderia ter terminado a sua vida de muitas maneiras, poderia tê-la convertido ou tê-la coberto de qualquer outra substância. Mas Genesis no diz especificamente que ela se tornou numa estátua de sal. Para o ouvinte moderno o sal é uma referência a um tempero conhecido, mas isto é porque desfrutamos dos benefícios da refrigeração. Por milhares de anos, a função primária do sal não era ser tempero, mas sim um conservante. Uma metáfora adequada para a Senhora Ló.

E se Deus tivesse demonstrado misericordia para com a mulher de Ló? E se ele tivesse permitido a ela fugir da maldade de Sodoma para um lugar melhor, ao mesmo tempo em que abrigava em seu coração um amor para com o seu passado? O vírus da maldade de Sodoma teria ido com ela para sua nova casa, teria sido preservado dentro dela, aguardando uma oportunidade para sair e infectar outras vidas. Ao invés de permitir que ela preservasse a estimada memória de Sodoma num novo lugar, Deus a preservou como uma estátua de sal. Ela tornou-se num memorial da preservação do mal, um aviso a todos os que a possam vê-la rigidamente preservada num meio olhar de desejo.

Eu sou a esposa de Ló. Preservo dentro de mim a memória de pecados saboreados em anos passados. Enxergo meu pecado, mas não o odeio. Detenho-me na ideia de fazê-lo de novo, mesmo em meio a minha nova liberdade. E corro o risco de espalha-lo para a vida das pessoas ao meu redor. Deus tenha misericórdia.

Se seu olhar espiritual fosse congelado neste instante, sobre o que estaria focado? Cada dia temos a escolha de olharmos para a frente, em direção à graça vivificante ou para trás em direção à morte saturada pelo pecado. Escolheremos o auto-foco ou o foco em Deus? Como queremos ser lembrados? Como alguém que preservava os prazeres do pecado ou preservava o lucro da santificação?

Minha prece é que a memória de nossos pecados passados seja enodoada com o odor pungente dos fogos de Sodoma, que o fedor da ira de Deus extermine a impiedade de nossos dias passados, e que o aroma da graça de Deus nos aponte em direção a uma nova vida, com os olhos fixos em nosso Salvador.

Lembrai-vos da mulher de Ló! Qualquer que procurar preservar a sua vida, perdê-la-á, e qualquer que a perder, conservá-la-á. (Lucas 17.32-33)

Por: Jen WilkinCopyright © 2014 The Gospel Coalition. Original: Lessons from a Pillar of Salt
Tradução: Seumas Dóchas

Jen Wilkin é esposa, mãe de quatro filhos maravilhosos, e luta para que mulheres aprendam a amar a Deus com suas mentes através do estudo fiel da Palavra. Ela escreve, dá palestras e ensina a Bíblia para mulheres. Ela mora em Flower Mound, Texas, e sua família congrega na The Village Church. Jen é autora de “Women of the Word: How to Study the Bible with Both Our Hearts and Our Minds” (Mulheres da Palavra: Como Estudar a Bíblia com os Nossos Corações e Nossas Mentes) (Editora Crossway). Você pode encontrá-la em seu blog jenwilkin.blogspot.com.  *HGTV é um canal a cabo com programas de casa e família.

Comentários

comentários