Adorando na beleza da Santidade

Adorando na beleza da Santidade

Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade” (Salmos 29.2). “Adorai o SENHOR na beleza da sua santidade; tremei diante dele, todas as terras  (Salmos 96.9).

No livro dos Salmos (considerando a versão R.A) encontramos uma estatística muito interessante quanto às palavras de ordem ligadas ao culto a Deus:

Cantai – Essa palavra se repete 14 vezes de forma imperativa, como uma ordem;

Louvai – 17 repetições no imperativo;

Adorai – 02 vezes!

Podemos cantar e louvar (elogiar) ao Senhor independente do estado em que nos encontramos. Não são radicais as exigências para que alguém se expresse a Deus com sua voz, entoando uma canção ou mesmo exaltando seus reconhecidos, tremendos e inquestionáveis feitos.

Mas no que diz respeito à adoração (inclinar-se; prostrar-se), as duas referências que encontramos na forma imperativa nos alertam quanto à necessidade de se adorar o Senhor na beleza da santidade.

O que significa isso? Significa que é impossível adorar a Deus de qualquer jeito! Nem de qualquer jeito, nem de variadas e complexas formas. O imperativo para se adorar a Deus é “na beleza da santidade”.

A santidade é o ornamento da adoração. A santidade é a glória desta experiência tão íntima e sublime com nosso Pai.

Santidade significa separação. Tem a ver com consagração. Alguém que é dedicado a Deus, “colocado ou mantido à parte”, “proibido” para qualquer tipo de uso, exclusivo para tal finalidade.

A santificação de nossas vidas honra ao Senhor. É a forma mais prática e eficaz de valorizá-lo. Santificar-se é “dizer” ao Pai: “Tu não És qualquer pessoa, muito menos qualquer coisa, por isso, não posso me apresentar a Ti de qualquer forma.”

Adorar na beleza da santidade é preparar-se para viver essa experiência. É cobrir-se da mais preciosa veste para a comunhão com Deus.

Fonte: www.danielsouza.com.br

 

Comentários

comentários